domingo, 3 de novembro de 2013

Como diferenciar guitarras

Sinceramente eu tinha muita dificuldade em saber diferenciar tipos de guitarra, pra mim guitarra era guitarra (pura ignorância eu sei, desculpem-me guitarristas) então procurei pesquisar, mas só achava o basicão, stratocaster. Então, sabe aquele ditado: Quando você procura, você não acha, mas quando desiste a coisa é que vai atrás de vc! Bem foi mais ou menos assim. Estava no facebook e então APARECEU no meu feed. Esses são os modelos de guitarra mais conhecidos e desconhecidos do mercado, agora faça sua escolha e vá na loja mais próxima hehe. 3Bjs. da Tia Bia.
Ah e continuem visitando o blog e divulgando POR FAVOR internautas, se esse blog cresce só tenho que agradecer a vocês.


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Hoje vim falar de CAPOTRASTE.

A princípio, gostaria de me desculpar com os internautas, pois... O blog estava por muito tempo parado. Estudo e ENEM é isso. Rsrs.


Pra começar, o capotraste é uma ferramenta que lhe permite aumentar a tonalidade das músicas, ou mesmo simplificá-las, ele usa a regra básica da contagem de tons, 1= meio tom, 2= tom. Ou seja, pulando um traste, aumentamos meio tom, pulando dois trastes, aumentamos um tom! 

Ex: A Música Mais uma vez - Renato Russo, que está no tom A. Colocando o capotraste na primeira casa, teremos um A#, se colocarmos o capotraste na segunda casa teremos um B. E assim sucessivamente, a mesma regra se aplica a B e E, que sabemos que não contém intervalos.

Bem que eu poderia chegar aqui e falar várias baboseiras pra vocês, mas é o seguinte, hoje tudo está caro... Te dou um exemplo, fui comprar um capotraste lindo e maravilhoso, estava a R$ 20,00 e poucas semanas depois a R$ 32,00.

CAPOTRASTE CASEIRO - TENDÊNCIA NESSE VERÃO.
Então eu vou ensinar com amor e carinho, a fazer um capotraste lindinho, para sua coleção. OBS: O melhor de tudo é que fica a seu estilo =D

Do que iremos precisar?
  • Duas ligas elásticas (por preferência)
  •  Um Lápis ou caneta (depois eu explico a diferença dos dois, continue lendo o post por favor)
  •  Faca ou estilete


Serre com a faquinha ou o estilete, bem ao meio o lápis ou caneta, se você já tem um lápis de tamanho razoável dispense cortá-lo, o tamanho deve cobrir o traste do violão, dobre o elástico duas vezes, e coloque-o nas extremidades do lápis ou caneta. Vai ficar assim: PS. Essa é minha mãozinha =D



A escolha por lápis, te dará um som mais tradicional do violão sem interferir, é como um capotraste de aço. A escolha por caneta, te dará um som mais metálico, aquele mesmo som que faz quando você arrasta sua unha nas cordas mais graves. Enfim pessoal, é isso! Espero que gostem e façam o de vocês. Vamos procurar não gastar tanto né? Dinheiro ta difícil. Já tinha feito esse post em um blog e fez um sucesso danado, então resolvi fazer outro neste blog.



sábado, 8 de dezembro de 2012

Passos Para Afinar Seu Violão

Será preciso também usar a técnica do ouvido absoluto, você que ainda pratica provavelmente não afinara com toda precisão.


1ª Dica: Afine a 5ª corda (Lá) com o diapasão. O som dos dois deve ficar igual.
2ª Dica: Prenda a 6ª corda na 5ª casa e faça com que o som dela fique igual ao som da 5ª corda (afinada pelo diapasão)
3ª Dica: Em seguida, afine a 4ª corda (Ré). Pressione a 5ª corda (Lá) na 5ª casa e iguale o som das duas.
4ª Dica: Para afinar a 3ª corda (Sol), proceda da mesma maneira. Pressione a 4ª corda (Ré) na 5ª casa.
5ª Dica: Afine a 2ª corda (Si) fazendo com que seu som fique igual ao da 3ª corda (Sol) pressionada na 4ª casa
6ª Dica: O som da 1ª corda (Mi) deve ficar igual ao da 2ª corda (Si) pressionada na 5ª casa.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Os 30 maiores ícones BRASILEIROS da Guitarra e Violão


João Gilberto


Jorge Ben Jor


Pepeu Gomes


Sergio Dias


Edgard Scandurra 


Lanny Gordin


André Christovam


Luiz Carlini 


Renato Barros


Herbert Vianna


Toninho Horta


Lulu Santos


Roberto Menescal 


Baden Powell


Raphael Rabello


Luiz Bonfá


Egberto Gismonti


Toquinho


Andreas Kisser


Mozart Mello


Wander Taffo


Edu Ardanuy 


Faíska


Kiko Loureiro


Almir Sater


Armandinho


Helena Meirelles


Chimbinha 


Robertinho do Recife


Yamandu Costa













Fonte: Revista Rolling Stone - Brasil

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Fabricação do Violão

  Imagem

Imagem

Processo de Fabricação
A fabricação artesanal do violão convive atualmente com os processos semimecânicos próprios das fábricas que constroem instrumentos em série.
O fundo do instrumento é composto por duas placas de madeira de jacarandá. O tampo harmônico, de abeto ou de cedro , é plano como o findo mas, ao contrário deste, apresenta uma abertura na metade superior, o ouvido ou boca. Debaixo deste, o luthier  coloca sete barras que reforçam o tampo. Posteriormente, o tampo e o fundo unem-se através das ilhargas (os lados da caixa) ou faixas laterais, também de jacarandá, que adquirem a sua característica forma curva através da aplicação de calor. Uma peça de madeira na base do braço e outra na parte inferior do corpo do instrumento, além dos contrafortes (duas tiras de madeira internas), reforçam as ilhargas pelo interior.
Uma vez construído o corpo, o artesão começa a trabalhar o braço. Realizar uns sulcos e canais na escala que cobre o braço, geralmente de ébano, que aligeiram a guitarra e evitam a deformação da madeira. Em seguida, coloca duas varetas metálicas no sulco para reforçar a escala. Os diferentes elementos que compõem a caixa são colados e esta é unida ao braço. Os pontos de união entre as diferentes partes são reforçados com filetes de madeira para evitar gretas e deformações. A escala, de jacarandá ou ébano, é colocada sobre o braço. O luthier acrescenta também a pestana (de marfim, osso [modo antigo], plástico [usados atualmente] ou metal) entre este último elemento e a mão.
O instrumento já está pronto para ser envernizado. No caso da produção artesanal, o luthier aplica a goma-laca à mão, ao passo que na fabricação em série se substitui o verniz natural por um à base de poliuretano, cuja aplicação é muito mais rápida e não se reveste de maiores complicações.
Finalmente, a superfície é polida e são aplicados os trastes, de latão ou metal branco, e o cavalete. O violão, uma vez colocadas as tarrachas e as cordas, está pronto para ser tocado.

domingo, 30 de setembro de 2012

"MÃE,PAI, DESMUNHEQUEI!!!!"

"MÃE DESMUNHEQUEI!!!!" <-- Calma, vou explicar... Esses dias passei por um susto daqueles, toco na igreja a quase 2 anos e isso nunca tinha acontecido. Com o passar dos dias fui notando uma pequena dor em meu pulso e não dei muita importância, achei que fosse o fato de utilizar muito da minha mão esquerda para jogar vôlei, bem isso também influenciou, notei que ficou pior quando comecei a tocar violão deitada em minha cama... Bom ai está o resultado:
TENSOR
Minha mão linda rsrs'
Essa palavra costumava me assombrar, mas vale ressaltar, não se chama DESMUNHECAR o nome desta "contusão" é punho aberto, ele não abre de fato! É um modo de dizer, é como você sente a dor, como se estivesse abrindo, expandindo. Isso acontece com a maioria dos músicos, sejam instrumentos de corda ou de percussão. Como tratar? Não é difícil e é um tratamento BARATINHO, mas como dizem o barato nem sempre é eficiente ou o mais rápido. Sabe aquele gelzinho que a gente costuma usar quando temos uma dor muscular? Pronto... O tensor é como um isolante, não deixa o efeito do gel passar, o calor torna e trata o músculo. O modo mais barato demora e as vezes a dor persiste, esse tensor que aparece na foto que eu estou usando é o famoso modo barato, por isso deve ser usado com o gel por bastante tempo (ou até que a dor passe POR COMPLETO) o aconselhável é usar o tensor quando os primeiros sinais aparecerem, como seria o tratamento "mais caro" usando o famoso salompas a cada turno, massageando e colocando a mão na água gelada <- o que fiz quando surgiu o primeiro sinal. Usei a  munhequeira por uma semana. Tomem todos os cuidados, façam exercícios antes de tocar eu não fazia por isso deu no que deu.